sábado, 1 de abril de 2017

Gelo negro (Becca Fitzpatrick)

Resultado de imagem para gelo negro
Título: Gelo Negro 
Autora: Becca Fitzpatrick
Páginas: 302
Editora: Intrínseca 


Sinopse: Britt Pfeiffer passou meses se preparando para uma trilha na Cordilheira Teton com a melhor amiga, mas não estava pronta para enfrentar a violenta nevasca que as pegou de surpresa no caminho. Ao procurar abrigo em uma cabana isolada, elas conhecem dois homens atraentes dispostos a ajudá-las. Pelo menos é isso o que as duas acham.

  Criminosos foragidos, eles as fazem reféns. Para se salvar, Britt vai ter que ajudá-los a fugir em segurança, apesar do frio e da neve. Mas, durante a arriscada jornada em meio à natureza selvagem, o que de início é ameaça pode se tornar a salvação.



Resenha
 Fui arrebatada por mais um livro, quer dizer, confesso que foi difícil de fato lê-lo (estou saindo de uma ressaca literária dos infernos), mas quando a leitura me segurou, ela segurou com vontade.
 O livro se inicia de uma maneira que você estranha e pensa, estou no livro certo? Mas a partir do momento que Britt entra na narrativa, mano, você não consegue mais parar. 
 Britt  e sua melhor amiga decidem passar férias nas montanhas, fazendo trilhas e coisas selvagens (pelo menos é isso que Britt tem em mente já que Korbie sua tem outros planos e eles não envolvem se embrenhar no meio da mata). As coisas se complicam quando uma nevasca as pegam no meio do caminho e elas são obrigadas a abandonar o carro no meio da estrada e sair em busca de abrigo, Britt tenta se manter confiante, mas Korbie não facilita muito as coisas com suas reclamações, quando ambas finalmente conseguem encontrar uma cabana após uma longa caminhada, tudo parece estar finalmente sobre controle. Elas não poderiam estar mais erradas, porque os seus salvadores são na verdade criminosos fugitivos e acabam fazendo as duas de reféns. 

 Ace e Shaun inicialmente parecem ser boas pessoas, mas ao decorrer da noite tudo vira de ponta cabeça e eles acabam se sendo lobos em pele de cordeiros, em questão de segundos elas vão de hóspedes para reféns e Britt precisa ser muito esperta para salvar a ambas. Mas os caras precisam fugir e Britt parece ser a única que pode ajudá-los a escapar pelas montanhas durante uma forte nevasca, ela precisa ser forte e é isso que ela faz, se força a ser uma garota durona para só então talvez poder escapar dessa com vida. 
 Britt tem uma carta na manga, algo que pode ser a sua salvação, mas ela precisa ser bem mais esperta que eles e mano (suspiros), só tenho amores por esse livro. A partir do momento que eles colocam os pés para fora da cabana, tudo se torna loucamente louco, a cada segundo que se passa sua curiosidade é sendo atiçada e você quer saber o que está acontecendo ali, quem são aqueles caras e porque diabos eles estão fugindo da polícia? Desde o início sabemos que há um assassino a solta e para o nosso desespero os assassinatos aconteceram em torno daquela montanha e a partir daí você já sabe que o suspense vai ser algo que está lá, explicito a cada página (ou quase isso).
  Mas eu só tenho amores por essa história? Nope. Korbie é uma personagem bem irritante e eu quis socar a cara dela diversas vezes ao decorrer do livro, ela é uma riquinha mimada e acha que o mundo gira ao redor dela e não entendo como Britt podia ter tanto amor por ela (mas essa amizade pelo lado da Britt foi algo que me encantou). 
  Britt no início se mostra determinada a provar algo para o mundo, ela perdeu a mãe quando era bem novinha e está acostumada a ter o pai e o irmão cuidando dela a todo momento, mas após sofrer uma decepção amorosa, ela decide provar tanto para Calvin (seu ex namorado) quanto seu pai que ela pode cuidar de si mesma. O crescimento dessa personagem ao decorrer do livro é algo absolutamente genuíno de se ver, ela não tem escolha a não ser se tornar forte e corajosa e vêi, Gelo Negro é uma escola de sobrevivência (ou quase isso). Os personagens são colocados em situações extremas e eles não tem opção, o único jeito de sair dessa enrascada vivos é lutando e colocando em prática tudo que sabem sobre sobrevivência. Britt é obrigada a confiar em seus sequestradores, porque ela sabe que não vai conseguir sozinha, mas ao mesmo tempo ela sabe que precisa de alguma maneira conseguir fugir, ela não vai cair sem lutar. Mas claro que como todas as personagens que amo, sempre há aquele momento que as odeio, mas não vou falar muito sobre isso, acredito que quando vocês lerem esse livro vão entender exatamente do que estou falando.
  Gelo Negro me surpreendeu não somente pela história em si, mas o fato de Becca ter fugido da sua escrita inicial (sou fã de Hush Hush), quer dizer, se você já leu essa série sabe que as histórias são completamente diferentes e whoa... Estou surpresa e muito feliz por isso. Gosto quando escritores saem de sua "zona de conforto" (não sei exatamente se ela saiu da zona de conforto dela, mas enfim), explorar novos ambientes e novos gêneros é algo extremamente apaixonante e difícil (digo isso por experiência própria).
  Ao decorrer desse livro fui criando diversas teorias e algumas delas até estavam certas o que me deixou muito orgulhosa de mim mesma, só sei quero ler mais livros como este e quero o mais rápido possível. 


Bjs da Anny :*

domingo, 26 de março de 2017

É importante ficar perto (Anny Morgan) 1º livro da série Ficar Perto


A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e texto
"Emma está perdida, completamente machucada. Algo aconteceu no passado e o assunto se tornou algo proibido dentro de sua casa, as pessoas parecem ter seguido em frente, mas Emma ainda sente a agonia e desespero da perda, ela ainda tem pesadelos com aquela noite e se nega a seguir com qualquer tratamento que sua família imponha. E a única maneira de lidar com a vida é se machucando e evitando qualquer tipo de envolvimento emocional, inclusive com a sua própria família. Mas depois de ser atropelada por Peter, um garoto insuportavelmente lindo que parece querer estar sobre a sua pele, tudo muda. Ele está determinado a quebrar as barreiras de Emma e está cada vez mais difícil para ela resistir ao seu poder persuasivo. De volta à escola depois de alguns meses longe, Emma conhece Lexi, uma garota doce que acaba se tornando sua melhor amiga.O passado pode doer e Emma está perdida, mas Peter e Lexi estão determinados a encontrá-la, a questão é, será que eles saberão lidar com as profundezas dos problemas de Emma?"

Autora: Anny Morgan
Páginas: 420

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

Evocação (Marcia Kusptas)

Resultado de imagem para evocação marcia kupstas
Título:Evocação
Autora:Marcia Kusptas 
Páginas:160
Editora:Ática 

Sinopse: As férias de julho chegaram. Para Magda, é época de viajar para a praia com a avó, a irmã e os primos. Desta vez, o destino é o litoral norte de São Paulo, em uma casa ampla e afastada de qualquer agitação. Mas isso não é garantia de tranquilidade... 
  Logo que começa, o passeio se torna um desastre. Tudo por causa das atitudes infantis e da afetação de Bárbara, amiga de seus primos. Irritada, Magda decide dar um susto na garota: usando o "jogo do copo", ela finge poder se comunicar com espíritos, dentre eles o do adolescente surfista cujo túmulo tinham visto na região. Só que a brincadeira sai do controle quando todos começam a presenciar eventos sobrenaturais. 
  Assombração ou delírio? No relato de sua experiência, Magda quer destrinchar todos os acontecimentos da viagem, para tentar enfim entender tudo o que viveram lá.

A imagem pode conter: 1 pessoa, texto

RESENHA
 Tenho que admitir que demorei um bom tempo para iniciar essa leitura (pode ou não ter algo haver com o pequeno preconceito que carregava por livros nacionais, eu sei, sou ridícula), a questão é que meu primo havia me emprestado esse livro ano passado e só vim ler agora, nesse mês de janeiro de 2017, e eu preciso dizer a minha surpresa em relação a história.
  Esse foi o primeiro livro da Márcia que li e fiquei realmente feliz por tê-lo lido, quer dizer, a história deu uma reviravolta e talvez um pouco de medo (okay, eu fiquei bem assustada). O livro superou minhas expectativas 
  O livro se inicia com Magda nos explicando o porque vai escrever o seu relato, então de fato ela começa a contar como tudo começou. Era pra ser um período de férias com a família, nada fora do comum, exceto é claro pela presença não muito animadora de Bárbara, uma amiga de sua prima Jacqueline. 
  Magda logo percebe que Bárbara vai ser problema, a garota é mimada, chata, manipuladora e irritante, o atrito inicial entre as duas garotas nasce inicialmente porque Magda está enciumada (essa parte eu entendo bem), a garota surge do nada e já consegue tomar toda a sua família.
  Devo admitir que fiquei com um pouco de abuso da Bárbara (ela realmente parece com alguém que conheci quando era bem mais nova), a garota é realmente irritante e se eu estivesse no lugar da Magda teria explodido muitas e muitas vezes com ela. 
  O lance é que conflitos acabam acontecendo e Magda decide se vingar, após uma ida ao cemitério local, alguns acontecimentos levam-na a ter uma das mais brilhantes ideias para sua vingança e é ai que as coisas começam a dar errado. No começo não houve nada demais, apenas adolescentes se divertindo, mas as coisas fogem do controle e tudo desanda de forma absurda. Magda e sua irmã Magali decidem pregar uma peça em seus primos e principalmente Bárbara, juntas manipulam a tábua ouija, o famoso jogo dos espíritos e no início não há nada fora do comum, mas depois de algumas sessões e uma história bem elaborada por ambas as irmãs, coisas estranhas começam a acontecer. A raiva, o ciúme, o medo e até mesmo a inveja não são uma combinação muito boa quando o sobrenatural está envolvido e Magda vai descobrir isso da pior forma possível.
  Não sei ao certo que coisas posso revelar, tenho medo de acabar dando um spoiler e ninguém gosta disso, certo? 
  Quando o sobrenatural de fato começa a acontecer no livro, você é pega de surpresa e isso eu gostei, fiquei um pouco confusa obviamente, me perguntando quando realmente tudo começou ou o que levou aos acontecimentos, vemos um lado da história e acho que eu queria mais informação sobre o outro lado (talvez essa falta de informação tenha me decepcionado um pouco, mas não a ponto de não gostar do livro).
  O lado ruim de se ler somente livros de outros países é que quando você finalmente ler um nacional, fica difícil não visualizar um lugar fora do Brasil, mas com "Evocação" eu consegui pensar em algo bem nacional e eu gostei disso, acho que esse ano vou tentar aumentar minha estante com nacionais. 
  Espero que tenham gostado da resenha e se você já leu ou pretende ler esse livro, me deixem saber nos comentários, até o próximo post.

Bjs da Anny :*